Toda semana a Verbo irá separar dicas de diversos professores. Fique atento. A dica de hoje é da Drª. Odara Weinmann (@direito_advagro) – Direito do Agronegócio

Dica 01: Para liberar o crédito rural, o banco não pode obrigar o produtor a contratar ou investir em: – TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO; – APLICAÇÕES FINANCEIRAS; – PLANO DE PREVIDÊNCIA PRIVADA; – CONSÓRCIOS; – POUPANÇA; – FUNDO DE INVESTIMENTOS CDB; – SEGURO RESIDENCIAL; – SEGURO DE VIDA; – SEGURO PRESTAMISTA. O agente bancário pode ofertar produtos e serviços bancários, desde que não condicione a compra desses a liberação do crédito rural. Vincular a liberação de recursos de custeio, comercialização e investimento com a aquisição de produtos bancários é ILEGAL.

Dica 02: Você sabe como fazer uma PRORROGAÇÃO ADMINISTRATIVA?

PRORROGAÇÃO ADMINISTRATIVA é feita, legalmente, fora do Poder Judiciário. Acontece quando o produtor tem algum prejuízo na sua atividade, é feita de forma que o poder judiciário não interfere nesse processo. Com no mínimo 30 dias de antecedência do vencimento da parcela, é feita uma notificação ao banco com uma nova capacidade de pagamento, um laudo de frustração total ou parcial de safra.

O direito de prorrogação assiste ao produtor e é um direito obrigatório dele. Essa prorrogação deve ser feita pelo tempo necessário em que o produtor tem para absorver o seu prejuízo, seja da safra que não colheu, animais que morreram ou que não puderam ser abatidos, ou até mesmo o custo de produção ser maior do que o custo de venda de seus produtos, entre outras situações, devem ser comprovadas através de um laudo, fazendo uma nova capacidade real de pagamento daquela propriedade.

Para acompanhar todas as dicas, siga nosso perfil no Instagram: @verbojuridico

Comentários

Comentários

Share.

About Author

Verbo Jurídico

Comments are closed.